Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

sexta-feira, 13 de abril de 2018

A Contar pelos Dados (9) – A carta lacrada


A manhã estava fria e o céu coberto de nuvens. O chapéu de detective assentava-lhe que nem uma luva. Jorge pertencia às brigadas da Judiciária, ia fazer cinco anos. Gostava de imitar o vestuário das séries policiais britânicas que passavam na televisão. Acrescentaria um cachimbo à  Sherlock Holmes se fumasse.

Durante estes anos, tinha ficado célebre pelo homicídio da "Casca da banana". Um caso que foi muito badalado na opinião pública e que os "media" encarregaram-se de falar vezes sem conta.

Guedes o seu colega estava atrasado. Tinham que ir conversar com duas pessoas, recolher os seus testemunhos e analisar depois os depoimentos. Olhou para o relógio. Os ponteiros obviamente não estavam parados e desde as 7:00 que Jorge estava a pé. Fez uma cara de quem estava chateado, com a falta de pontualidade do colega.

Por uns segundos abstraiu-se da espera e lembrou-se da carta.
Que carta seria aquela com um lacre em forma de coração ?

Entretanto, o Sol conseguira penetrar através das nuvens. O dia ia ser longo. Ao longe, finalmente, descortinou Guedes em passo apressado.

17 comentários:

  1. Cada um melhor que o outro. Muito bom.
    Abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado Elvira!
      Bom fim de semana
      Abraço

      Eliminar
  2. Isto cada vez é mais giro :)
    Este conto merecia ser continuado! Ficou num ponto tão interessante...
    E aquela carta lacrada vai ficar por abrir??
    Pensa nisso. Faz um "take 2"... ou quantos mais quiseres, claro.

    Gostei muito!!
    Beijinhos com suspense
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que sim, mas não desvirtuar o que está proposto desde o início. Posso pensar, mas...
      Obrigado pela tua opinião Afrodite

      Eliminar
  3. Que bom teres regressado com esta rubrica que eu tanto gosto!
    Excelente adaptação da história policial, aos dados!
    Muito boa, mesmo.
    Cada vez apuras mais o estilo; ficas mais desenvolto na escrita e na criatividade.
    Parabéns.

    Bom FDS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A rubrica continua e vai continuar, mas escrever implica paz de espírito e serenidade, e ainda muito importante concentração.

      Obrigado Janita

      Eliminar
  4. Muito giro, essa carta é uma declaração de amor que ficou perdida....alguém está a sofrer...
    Gostei muito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, calculo que a carta possa ser isso que dizes, Papoila. Obrigado

      Eliminar
  5. Uma história de detetives que acaba com um mistério por desvendar. O mistério da carta lacrada... :) Olha que giro! Gostei muito.

    ResponderEliminar
  6. Com duas horas de atraso, onde teria estado o Guedes?
    Oh_ooo escorregou também ele na casca da banana?

    Está com muita pinta este caso "Casca de banana"!

    Bom sábado Ricardo!
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Guedes deve ter acordado tarde. Tem "pinta" disso ! :)
      Carta lacrada é mais o caso ! :)
      Obrigado mz

      Eliminar
  7. Uma história muito bem engendrada e muita imaginação.
    Aquela carta é que me deixou curiosa, que notícias esconderia?

    Bom Domingo Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A carta como disse à Papoila deveria ser de uma declaração de amor perdida. É uma história de seis dados apenas.
      Obrigado Manuela

      Eliminar
  8. Como já foi dito,... cada vez mais aprimorados os contos e a técnica !!!
    Estás a ficar um belo escritor ! :))

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui como já disse, eu devia-me ter dedicado à escrita. Talvez ainda venha a tentar alguma coisa, não sei, vai depender de muita coisa mesmo !
      Muito Obrigado, Abraço

      Eliminar

Eu fiz um Pacto com a minha Língua, o Português, língua de Camões e de Pessoa.