Contigo nunca me perco, perdendo-me ! (Ricardo Santos)

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Jazz Standards (169)

(Dados Biográficos In Wikipédia e In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

(Sobre o tema em questão, algumas palavras retiradas de “in
http://www.jazzstandards.com/compositions/index.htm” - adaptação e tradução por Ricardo Santos)

Woody'n You (#173) - Música de Dizzy Gillespie
David L. Maggin no seu livro “Dizzy: The Life and Times de John Birks Gillespie” diz: "Woody'n You", foi dedicado a Woody Herman e é uma das composições mais duradouras de Dizzy, suporta uma pungente dissonância cromática com um sentimento rítmico latino. Nas suas notas diz-se que o álbum “Relaxin” de 1957 com o Miles Davis Quintet, inclui uma faixa de "Woody'n You".
Ira Gitler explica ainda que a música foi tocada por Woody Herman atrás de dançarinos de sapateado, mas Herman nunca gravou esta versão.

Stan Getz (Filadélfia, Pensilvânia, EUA 02-02-1927 - Malibu, California, EUA, 06-06-1991) – Em Itália, 1961, com Lou Levy (piano), Ray Brown (contabaixo) e Ed Thigpen (bateria).


Eliane Elias (São Paulo, Brasil, 19-03-1960) – Do álbum “Everything I Love” de 15 de Fevereiro de 2000, para a “Blue Note”.


Gonzalo Rubalcaba (Havana, Cuba, 27-05-1963) - Munich Philharmonie, em 1994. Com Gonzalo Rubalcaba (piano), Ron Carter (contrabaixo) e Jul Baretto (bateria).


Bill Evans (Plainfield, EUA, 16-08-1929 — New York, EUA, 15-09-1980) – Com Bill Evans (piano), Paul Chambers (contrabaixo) e Philly Joe Jones (bateria).

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Faz Hoje Anos (25) – Dexter Gordon e (26) – Mildred Bailey

Faz hoje 95 anos... Parabéns !!!

Dexter Gordon (27-02-1923 – 25-04-1990) – Com a composição “Lady Bird”. São intervenientes, Dexter Gordon (saxofone tenor), George Gruntz (piano), Guy Pedersen (contrabaixo) e Daniel Humair (bateria). Decorria o ano de 1964 e estávamos na Bélgica.


Faz hoje 111 anos... Parabéns !!!

Mildred Bailey (27-02-1907 – 12-12-1951), com a composição “Rock It For Me” de 1938.

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Globalização na Escola - Interacção Humorística (170)

Em 27-08-2012. Obrigado.

Globalização na Escola

A professora, faz a chamada:

Mustafá El-Ekhseri… Presente!
Obamba Moluni… Presente!
Achmed El-Cabul… Presente!
Evo Menchú… Presente!
Yao Ming Chao… Presente!

Al Ber Tomar Tinsdi-As… Ninguém responde !

"Al Ber Tomar Tinsdi-As", volta a repetir a professora algo chateada ... Ninguém responde !

"Pela última vez... Al Ber Tomar Tinsdi-As", diz a professora bastante exaltada.

De repente levanta-se um miúdo e diz: "Devo ser eu professora, mas pronuncia-se: Alberto Martins Dias" !!!

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

CinemaScope (11)

Retomo uma rúbrica que existia neste blogue, em rodapé e que possivelmente passou despercebida a muitos que me visitavam, por estar mesmo lá no fim da minha página.

É música claro ! O que estavam à espera ?

São composições que me dizem muito, porque sou um romântico e um eterno apaixonado por música, pelas outras artes, pela humanidade, pelos amigos que encontrei na blogosfera, pela Natureza, pela vida, no fundo, pelas coisas boas desta sociedade em que vivemos.

Desta vez os registos, enquanto não apagados ou eliminados do Youtube, ficarão por cá, com uma única etiqueta “CinemaScope”.

A excelente cantora canadiana Shania Twain.

Shania Twain (28-08-1965) - Forever And For Always (2002)

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Diva (9) Canção de Embalar

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Músicas do CD Duplo “Os Filhos da Madrugada” editado em 27 de Abril de 1994, onde o Grande José Afonso, foi homenageado pelos artistas das principais bandas portuguesas. É também a minha homenagem a esta figura IMPORTANTÍSSIMA na vida musical portuguesa e no respeito que demonstrava e defendia pela liberdade de todos os cidadãos.

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos (Aveiro, 02-08-1929 – Setúbal, 23-02-1987)


Desenho meu, feito a lápis de carvão, no ano de 1988, após a morte do Artista

Diva (1985 - 1999)



Dorme meu menino a estrela d'alva
Já a procurei e não a vi
Se ela não vier de madrugada
Outra que eu souber será p'ra ti
Outra que eu souber na noite escura
Sobre o teu sorriso de encantar
Ouvirás cantando nas alturas
Trovas e cantigas de embalar
Trovas e cantigas muito belas
Afina a garganta meu cantor
Quando a luz se apaga nas janelas
Perde a estrela d'alva o seu fulgor
Perde a estrela d'alva pequenina
Se outra não vier para a render
Dorme qu'inda a noite é uma menina
Deixa-a vir também adormecer

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Patchworks of Music Glued (8)

Pudesse eu, faria uma viagem que só terminaria, quando finalmente te avistasse ao longe. Desceria suavemente e envolver-te-ia com os meus braços. Sei que estás por aí a olhar os céus, numa espera interminável...



Foto minha, "batida" em Dezembro de 2016, na Ilha Terceira.

Música, do "Pat Metheny Group", extraída do álbum “First Circle” de Julho 1984, para a etiqueta “ECM”. A composição “If I Could”, composta por Pat Metheny.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Juca Chaves (canções 1)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Embora muitas das piadas e composições do Juca Chaves (Jurandyr Czaczkes Chaves) estejam dirigidas para o público brasileiro e com assuntos relativos ao Brasil, fica aqui a minha homenagem, enquanto vivo, de um dos melhores humoristas brasileiros de todos os tempos. Homem polémico, perseguido muitas vezes pelo poder institucional, com uma graça extrema e algumas vezes ousada.
Aqui ficam algumas das suas mais famosas composições.


Juca Chaves (22-10-1938) – É um compositor, músico e humorista brasileiro...

A Cúmplice


Cagar é Bom Demais

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Xutos e Pontapés – Nascidos Aqui (14)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Xutos e Pontapés (1978) – Não vem em jeito de homenagem, mas esta era e é, a banda do Zé Pedro !

O Mundo ao Contrário, do álbum com o mesmo nome, de 2004.


Homem do Leme, do álbum “Cerco” de 1985.


À Minha Maneira, do álbum “88” de 1988.


Remar, Remar, para o álbum “Johnny Guitar” de 1993.

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Moody Blues (6)

(Dados Biográficos In Wikipédia e/ou In AllMusic.Com - Todos os excertos das biografias foram adaptados e algumas vezes traduzidos por Ricardo Santos)

Os “Moody Blues” foram um grupo que segui até 1971, com o álbum “Seventh Sojourn”. Até aí ouvi e coleccionei os “vinil”, depois, somente os segui, amiúde. Hoje tenho toda a discografia deles. Sempre me agradaram bastante, pela sua música trabalhada e muito bem executada, muitas das vezes acompanhada por orquestra. Por aqui no “O Pacto Português”, e durante algumas semanas (um álbum por semana, até ao “Seventh Sojourn), vou dar-vos um pouco das melodias e do “Rock” deste agrupamento, e também algumas palavras sobre os “MB” (biografia) e análise dos álbuns por críticos musicais. A análise dos álbuns dos “Moody Blues” foram traduzidas do sítio do AllMusic.com e da Wikipedia (versão inglesa). Não sei as análises da AllMusic.com,  são da época ou actuais, mas valem o que valem e como sempre tenho dito, sou um melómano amador e não sei ler uma pauta musical, embora tenha a certeza que não conseguiria viver sem ela.

The Moody Blues (Birmingham, Maio 1964 – 20xx)

The Moody Blues são uma banda de Rock Inglês. Entre algumas das suas inovações para a época conta-se com a fusão com a música clássica. Isto é evidente, e principalmente, no excelente álbum, de 1967, “Days Of Future Passed”.
The Moody Blues venderam mais de 70 milhões de álbuns em todo o mundo e obtiveram 14 discos de ouro e platina. A partir de 2012 eles permanecem activos, com um membro da banda original de 1964, John Lodge, e mais dois a partir da linha 1967, Justin Hayward e Graham Edge.

Discografia:

The Magnificent Moodies (1965)
Days of Future Passed (1967)
In Search of the Lost Chord (1968)
On the Threshold of a Dream (1969)
To Our Children's Children's Children (1969)
A Question of Balance (1970)
Every Good Boy Deserves Favour (1971)
Seventh Sojourn (1972)
Octave (1978)
Long Distance Voyager (1981)
The Present (1983)
The Other Side of Life (1986)
Sur la Mer (1988)
Keys of the Kingdom (1991)
Strange Times (1999)
December (2003)

Etiquetas - Decca, Deram, Threshold, Polydor, Universal, Ark 21, Eagle, Image.
Membros actuais - Graeme Edge, John Lodge e Justin Hayward.
Membros anteriores - Ray Thomas, Michael Pinder, Denny Laine, Clint Warwick, Rodney Clark e Patrick Moraz.


Álbum (vinil) - A Question Of Balance (1970), Threshold THS 3. Gravado entre 17 de Janeiro e 6 de Junho de 1970. Editado em 7 de Agosto de 1970.

Embora os Moodies já definissem um estilo bem próprio e um pouco psicadélico, e ajudassem a definir o som do rock progressivo (então também conhecido como 'rock art'), o grupo decidiu gravar um álbum que poderia ser tocado em público. Este álbum, atingindo o número 3 de vendas nas tabelas norte-americanas e o número 1 nas britânicas, foi, também, indicativo do crescente sucesso da banda na Estados Unidos da América. Aliás, parece ter sido um dos primeiros álbuns de rock que abordaram a questão da ecologia (exemplo: We'll spoil the seas with the rivers we've lost, de Edge's na composição "Don't You Feel Small". A composição "Question" de Hayward (numa versão diferente) foi emitida como single, alcançando o número 2 de vendas no Reino Unido, mantida abaixo do primeiro lugar apenas pela canção "Back Home" da “England World Cup Football”. Justin Hayward começou numa exploração artística dos tons da guitarra através do uso de numerosos pedais de efeitos sonoros e desenvolveu para si mesmo um som de guitarra e solo, muito melódico. Os “Moody Blues” já se tinham tornado por si só e por direito próprio, um “Top” de tabelas de vendas. Eles apareceram duas vezes no famoso “Festival Isle of Wight”. Um DVD da sua actuação neste Festival, foi lançado em 1970. O "Melancholy Man" de Pinder (single número 1, em França) destacou-se ao lado de "Question" de Hayward, neste álbum de 1970.

Formação do álbum “A Question Of Balance": Justin Hayward (vocais, guitarras e bandolim), John Lodge (vocais, baixos e harpa), Ray Thomas (vocais, flauta, e pandeireta), Graeme Edge (vocais, bateria e percussão) e Mike Pinder (vocais, teclas e sintetizador).
Melhor classificação, Álbum: 3º. Lugar “Billboard 200” em 1972 e Tema “Nights In White Satin” 2º. Lugar “Billboard Hot 100” em 1972.


It's Up to You, de Justin Hayward, em versão acústica e,…


… em versão estúdio


Dawning Is the Day, de Justin Hayward.


Melancholy Man, de Mike Pinder, em versão ao vivo, e…


… em versão estúdio


Question, de Justin Hayward.

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Faz Hoje Anos (21) – Eva Cassidy, (22) – Melody Gardot, (23) – Sonny Stitt e (24) – Stan Getz

Faz hoje 55 anos... Parabéns !!!

Eva Cassidy (02-02-1963 – 02-11-1996), na composição “Songbird” de 2001, para o álbum com o mesmo nome.


Faz hoje 33 anos... Parabéns !!!

Melody Gardot (02-02-1985), com a composição “Summertime”, de George Gershwin, da ópera “Porgy and Bess” de 1935.


Faz hoje 94 anos... Parabéns !!!

Sonny Stitt (02-02-1924 – 22-07-1982), decorria o ano de 1971. Gravado no Tivoli em Copenhaga, Dinamarca. O grupo “The Jazz Giants” com Dizzy Gillespie (trompete), Kai Winding (trombone), Sonny Stitt (saxofone), Al McKibbon (contrabaixo) e Art Blakey (bateria), na composição “Everything Happens to Me” de 1940, com música de Matt Dennis e letra de Thomas Adair.


Faz hoje 91 anos... Parabéns !!!

Stan Getz (02-02-1927 – 06-06-1991), com a composição “Wave” de António Carlos Jobim, composta em 1967 para o álbum com o mesmo nome. Aqui em Copenhaga (1970), Dinamarca.